Arte tumular estrusca: síntese de aula

etruria4

Curso online sobre  História da Arte, aulas virtuais oferecidas pelo Professor Doutor José Leonardo do Nascimento do Instituto de Artes da Unesp (Universidade do Estado de São Paulo).

1º e 2º aula: A Arte tumular estrusca, síntese de conteúdo.

Método = caminho estabelecido enquanto diálogo entre Grécia e Roma.

Mitologia grega foi latinizada, sendo que apesar de Roma “imitar” a arte grega, estabeleceu também sua especificidade.

O primeiro contacto entre os romanos e os gregos, se estabeleceu através do povo etrusco. Do qual ainda não foi decifrada a escrita, e que se manteve como povo desprezado pelos gregos (apesar do intenso comércio que praticaram) e que tiveram como informantes, os romanos: seus maiores “inimigos”.

Os romanos diziam que os etruscos eram supersticiosos e que também que na sua história familiar, os pais eram desconhecidos. É, praticamente, tudo o que nos foi legado como relato acerca dos estrúrios através dos romanos.

Arnaldo Momigliano, historiador italiano, dizia que nós conhecemos mal os povos que os gregos não conheceram e que, mormente, os poucos relatos que se tem da Etrúria, são indicativos de que era uma sociedade mais libertária, mais igualitária para as mulheres. Que eram alfabetizadas e que tinham um nome.

Nas sociedades romanas, as mulheres herdavam o nome de seus pais: Pompéia, filha de Pompeu; Cesária, filha de César; Cornélia, filha de Cornélius. A prova disto se encontra em diversas inscrições encontradas em fundos de espelhos que foram levados para as sepulturas.

A arte tumular de Etrúria, presente nas mais de 70 casas-túmulo encontradas em Tarquínia, são comprovação de que os etruscos acreditavam numa vida pós-mortem como a vida propriamente dita. Tanto que decoravam seus túmulos como já faziam os egípcios. Esta ideia de uma vida onde a dança, o prazer da música, da bebida, da nudez, da alegria estampada nas faces, também fazia parte do outro lado da nossa existência.

O que há de notável na arte tumular dessa sociedade, é que as mulheres etruscas foram figuras sociais presentes em todos os eventos da vida quotidiana, ao contrário do que se passou em Roma ou na Grécia, sociedades cuja a existência feminina esteve circunscrita ao domínio masculino e cuja voz pouco ou nada nos foi transmitida.

etruria casal

Anúncios

Sobre Mara Cristan

Socióloga e Docente Universitária
Vídeo | Esta entrada foi publicada em Mara Cristan Learning Journals. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s